Arquivo de março, 2014

Deus ama o divorciado!

Publicado: 25 de março de 2014 em Uncategorized

vocvc

 

Antes de ser condenado por alguns, preciso explicar aos queridos leitores que não sou a favor do divórcio. A bíblia é clara quanto a este assunto dizendo que Deus odeia esta prática (Malaquias 2:16). E há alguns textos que falam sobre o divórcio, como é o  caso de Mateus 5:31-32Marcos 10:1-121 Coríntios 7:1-14 e tantos outros. Estou ciente de cada um dos textos que a Bíblia fala acerca deste assunto.

Apesar de ter passado por uma amarga experiência de divórcio, coisa que não desejo para nenhuma pessoa, hoje tenho uma família abençoada, uma filha linda e pastoreio uma Comunidade promissora. Quem conhece a mim e minha esposa sabe que Deus nos confirmou desde o namoro, noivado e até o casamento. Foram experiências pessoais com Deus únicas que nos levaram ao altar. Hoje desfrutamos deste amor e promessa divina.

Mas vez por outra, sei que há pessoas e pastores que apesar de conversarem comigo, não consideram a minha experiência como sendo algo de Deus, nem tão pouco meu ministério já que sou um pastor divorciado que casou novamente. Procuro encarar isso de forma natural já que não posso mudar a mentalidade de ninguém. Já li muitos artigos e livros de autores conservadores que defendem o casamento e condenam o divorciado. A maioria destes escritores, quando trata de pastores divorciados, mostram sempre a parte negativa dos pastores que envergonham o evangelho casando 2, 3, 4 ou mais vezes. Que de fato não é compreensível. E quando falam da pessoa divorciada (leigos), entopem de textos contrários ao divórcio e que nunca deveriam se divorciar por mais que estivessem sofrendo, dando a entender que suas vidas estão na contramão da vontade de Deus de agora por diante. A impressão que se passa é que o divorciado sempre carregará uma dupla culpa onde parece que a graça de Cristo não é suficiente para restaurar: a culpa de ter se divorciado e a culpa de estar em pecado por casar novamente ou permanecer divorciado não se reconciliando com sua ex-esposa ou ex-esposo.

Por várias vezes tenho me deparado com muitos divorciados que estão sofrendo discriminação na igreja que são membros, Ops! nem podem ser mais membros. São impedidos de exercerem seus dons em algum ministério, muitos tiveram seus problemas expostos publicamente e hoje parecem ser tratados como os leprosos considerados impuros na época de Jesus. Fui procurado por um divorciado que está sofrendo em sua igreja desta maneira. Em prantos me revelou: “A igreja me discrimina só porque sou divorciado alegando que não tenho exemplos para ensinar, pregar ou para realizar qualquer trabalho para Deus, mas ironicamente, a Igreja mantem na liderança algumas pessoas que são “casadas”, porém seus casamentos já acabaram a muito tempo. Que exemplo estas pessoas tem para ensinar, pregar ou fazer a obra de Deus já que estão casados por conveniência?”.

Deus definitivamente não é a favor de hipocrisia, coisa que sempre condenou nas atitudes nojentas dos fariseus e religiosos em geral (Marcos 7:61 Timóteo 4:2). Tentar mostrar santidade sem vivência prática, é ser um sepulcro caiado (Mateus 23:27). São tantos os líderes hipócritas e igrejas vivenciando essa hipocrisia por culpa dos fariseus que dominam o universo religioso que, eles promovem essa doença chamada hipocrisia, nas pessoas que tem um casamento de fachada. Ouso a dizer, que há mais divorciados vivendo debaixo do mesmo teto do que divorciados que decidiram não viver uma hipocrisia.

mascara

Não quero com isso estimular o divórcio. Mas minha intensão é repensarmos nossa atitude com muitos divorciados que, por conta do pecado e dureza do seu coração, sofreu um acidente de percurso e hoje estão sofrendo com os ferimentos graves ocasionados por este acidente, e que estão gemendo de dor todos os dias suplicando por alguém que possa amá-los como Cristo os amou e pacientemente seja um instrumento de graça curando as suas feridas.

Sinceramente, se você que está lendo é um divorciado, saiba que o divórcio não é o fim. Eu que o diga. Sou alguém como você, sofri um acidente de percurso muito sério como falei no início, sou um divorciado que sofreu o abandono, a escuridão que o próprio divórcio nos coloca dentro de nós e o julgamento ferrenho dos religiosos de plantão. Mas hoje reconstruí minha vida emocional, sentimental, espiritual e ministerial. Conheci Silvinha, uma cristã e esposa linda e maravilhosa com quem me casei. Estou pastoreando uma comunidade que vivencia o pastoreio mutuo e o verdadeiro amor cristão. Nunca me senti tão amado quanto hoje me sinto Comunidade Vida.

 O evangelho de Cristo existe, há pessoas e Igrejas que vivenciam isso. Entretanto, sou impelido a concordar com o escritor Brennan Manning, quando disse:

A Igreja institucional tornou-se alguém que inflige feridas nos que curam, em vez de ser alguém que cura os feridos. Dito sem rodeios: a igreja evangélica dos nossos dias aceita a graça na teoria, mas nega-se na prática.

Saiba que apesar disso, Jesus nunca nos abandou e é especialista em recomeçar.

Com amor,

Gladyston Santana

Onde pesquisei:

> Brennan Manning, “O evangelho maltrapilho”, pg. 15,16.

> http://www.bibliaon.com

Como enfrentar os nossos problemas?

Publicado: 22 de março de 2014 em Uncategorized

Cooperação do Pr. Leilton Aurélio*

Imagem

Ao Contrário do que tem sido ensinado por alguns pregadores da mídia televisiva, e por alguns escritores da chamada Teologia da Prosperidade ou Confissão Positiva, o crente passa por tribulações, por lutas, por dificuldades. O próprio Cristo já nos advertia: “No mundo tereis aflições.” Ao invés de tentarmos nos iludir manipulando a Palavra de Deus, devemos estar preparados para a possibilidade de termos que enfrentar as provações. Mas quando ela vier, o que devemos fazer? 
I. A sua confiança em Deus não deve depender das circunstâncias.
Não deixe que as situações da vida, determinem a sua fé em Deus, pelo contrário, a sua fé em Deus é que deve prevalecer nas situações, foi em uma situação como esta que o profeta Habacuque escreveu: Embora as figueiras tenham sido totalmente destruídas e não haja flores nem frutos, embora as colheitas de azeitonas sejam um fracasso e os campos estejam imprestáveis; embora os rebanhos morram pelos pastos e os currais estejam vazios, eu me alegrarei no Senhor! Ficarei muito feliz no Deus da minha salvação. (Habacuque 3. 17 e 18 – A Bíblia Viva). 
Também, nunca pergunte: Será que Deus realmente me ama? Pois o amor de Deus pelo seu povo é incondicional, veja o que o Apóstolo Paulo disse quando escrevia aos romanos: Quem, então pode jamais ocultar de nós o amor de Cristo? (Rm 8. 35,36 e 38 – A Bíblia Viva) (Hebreus 12.6) Todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus. 
II. Antes de Olhar para o problema, olhe para o Deus que pode resolver o problema.
O Deus a quem você serve, é bem maior que o seu problema, não há limites para o seu poder. Para o que acontece, é que muitas vezes, em meio aos problemas nos esquecemos das intervenções de Deus no passado. Antes de Deus tirar Israel do Egito, Ele fez grandes milagres, e as pragas foram o maior exemplo disso, Contudo, ao chegarem diante do Mar Vermelho, ao verem Faraó e o seu exército se aproximar, se esqueceram de tudo o que Deus havia feito anteriormente. E após, Ele haver aberto o Mar Vermelho e fazer o povo passar em terra seca, durante a caminhada o povo novamente se esqueceu e continuou a murmurar contra Deus, se esquecendo de tudo quanto Deus já havia feito em seu favor em outras ocasiões? Portanto, se vierem os problemas lembre-se de que Deus em outras ocasiões já te deu o livramento e poderá fazê-lo novamente.
III. Não murmure. Ouça a Voz de Deus.
A murmuração é uma declaração de insatisfação para com Deus. Quando murmuramos, nós estamos dizendo a Deus que não concordamos com Ele, que Ele é injusto em permitir que determinadas coisas nos aconteçam, que Ele não se importa conosco, assim como os discípulos afirmaram no barco: “Não te importa que pereçamos!” A murmuração, além de não resolver só agrava o problema, e é uma declaração antecipada de derrota. É uma afirmação de incredulidade.
Finalmente, a murmuração não aperfeiçoa o nosso caráter, nem nos faz crescer. Podemos nos alegrar, igualmente, quando nos encontramos diante de problemas e lutas por sabemos que tudo isto é bom para nós – ajuda-nos a aprender a ser pacientes. E a paciência desenvolve em nós a força do caráter, e nos ajuda a confiar mais em Deus cada vez que a utilizamos, até que finalmente a nossa esperança e a nossa fé fiquem fortes e sólidas (Rm. 5. 3 e 4 – A Bíblia Viva). Há momentos em que devemos ficar quietos. Êxodo 14.13. Ha momentos da nossa espera e da ação de Deus. Disse o salmista:

“Esperei confiantemente no Senhor. Sl 40.1 Aquietai-vos e sabei que eu sou Deus.” Salmo 46.10.

CONCLUSÃO: Lembre-se ainda, que Deus permite que passemos por tribulações, para o nosso crescimento, pois Deus jamais permitiria uma lágrima inútil a um filho seu e para manifestação da sua glória e poder. 

* Leilton Aurélio Santiago, é pastor da Igreja Evangélica Nova Assembléia de Deus, casado com Liparly Santiago e atualmente mora no arruda, Recife/PE. Bacharel em Teologia, Capelão do hospital Oswaldo Cruz e está cursando pós-graduação em Psico-pedagogia. 

Um psicopata na Igreja

Publicado: 19 de março de 2014 em Uncategorized

 Imagem

A psiquiatra Ana Beatriz autora de vários livros neste segmento, revela que Pelo menos 4% da população apresenta esse lado sombrio da mente. Pode ser qualquer pessoa: um colega de trabalho, o marido ou um filho. Pessoas generosas são as vítimas preferidas”. Isso significa que podemos estar convivendo com um psicopata pertinho de nós e não sabemos. 
Apesar do nome já demonstrar um lado sombrio e tenebroso, não são muitos os psicopatas que tendem a ser como aqueles do serial Killer (a exemplo de Hannibal Lecter) que aterroriza a vítima sentindo prazer em ver o seu sofrimento e morte. Em geral, conforme a psiquiatra, o “Psicopata é o indivíduo que apresenta um transtorno de personalidade, que se caracteriza por total ausência de sentimento de culpa, arrependimento ou remorso pelo que faz de errado. Falta de empatia com outro e emoções de forma geral (amor, tristeza, medo, compaixão, etc.). Os psicopatas são frios e calculistas, mentirosos contumazes, egocêntricos, megalômanos, parasitas, manipuladores, impulsivos, inescrupulosos, irresponsáveis, transgressores de regras sociais, muitos são violentos e só visam ao interesse próprio. Eles estão infiltrados em todos os meios sociais, credo, sexo, cultura e são capazes de passar por cima de qualquer pessoa apenas para satisfazer seus sórdidos interesses. Podemos dizer que são verdadeiros ‘predadores sociais’, almejam somente o poder, status e diversão e usam as pessoas apenas como troféus ou peças do seu jogo cruel.”. 
O psicopata, como muitos pensam, não está entre os considerados loucos, isso porque, loucura é definida pela medicina como surto psicótico, o que não acontece com o psicopata que não apresenta nenhuma desordem cognitiva e nem tão pouco deficiência de raciocínio. Abaixo citamos alguns pontos importantes de como um psicopata pode se apresentar:
Charmoso: Tem facilidade em lidar com as palavras e convencer pessoas vulneráveis.
Inteligente: O QI costuma ser maior que o da média.
Ausência de culpa: Não se arrepende nem têm dor na consciência. É mestre em botar a culpa nos outros.
Espírito sonhador: Vive com a cabeça nas nuvens. Mesmo se a situação do sujeito seja miserável.
Habilidade para mentir: Não vê diferença entre sinceridade e falsidade.
Egoísmo: Faz suas próprias leis. Não entende o que significa “bem comum”. Se estiver tudo bem para ele, não interessa como está o resto do mundo.
Frieza: Não reage ao ver alguém chorando e termina relacionamentos sem dar explicação.
Parasitismo: Quando consegue a confiança de alguém, suga até a medula.
Como eles estão em todos os seguimentos da sociedade, não há como ignorar o fato de estarem também na Igreja. Muitos estudiosos até questionam a conversão de um psicopata ao evangelho dizendo não ser possível, já que uma de suas características fortes é a ausência da capacidade de arrependimento. Acreditamos que, como o evangelho é o poder de Deus (Romanos 1.16), sem dúvidas este evangelho pode transformar, pois não há nada impossível para o homem que não se torne possível para Deus (Mateus 19.26).
Embora creiamos no poder transformador do evangelho de Cristo, há evidências de que nas igrejas religiosas muitos psicopatas se aproveitam do nome de Deus e da fé que o povo exerce, para extorquir, roubar e destruir sem nenhum escrúpulo ou sinal de compaixão. O pior de tudo é que muitos demonstram intimidade com os textos da Bíblia e com Deus, e sua aparência exala “santidade” e “autoridade”, ficando difícil perceber seus planos maquiavélicos e sarcásticos por trás de suas ações.
Imagem
A psicóloga Marisa Lobo, autora do livro Psicopatas da Fé,  disse numa entrevista: “um psicopata pode converter-se ao evangelho e acreditar em sua mente que isso pode lhe trazer poder sobre as outras pessoas. Pode inclusive entrar em um seminário, uma escola ministerial, se tornar diácono, obreiro, de uma igreja católica ou evangélica ou mesmo passar a fazer parte de seitas com o intuito de ‘ser o melhor’, independente do que é ensinado”. 
Talvez encontramos um dos primeiros psicopatas na Bíblia na pessoa cruel e sanguinária de Caim. Quando percebeu que sua oferta não foi aceita, ficou furioso. Embora Deus o alertando de que o pecado estava à porta do seu coração e que deveria dominá-lo antes que o mesmo o dominasse, não foi suficiente para impedir que ele executasse o seu plano maquiavélico em matar seu irmão, fruto certamente de uma mente psicopata (Gênesis 4.1-12). 
Quando estava morando na Bahia, conheci uma vítima de um “Pastor” psicopata. Esta senhora tinha um problema de saúde sério, possuía muitos bens financeiros e, levada a uma igreja por uma obreira para conversar com este pastor, foi orientada a passar seus bens para o nome da igreja como oferta a Deus pela sua cura. Infelizmente, nunca foi curada, perdeu tudo e agora pedia esmolas nas ruas. Passado alguns anos, tentou reaver com o “pastor” os seus bens e nunca os teve de volta, pois legalmente havia passado seus bens para a Igreja.  
Não queremos com isso inflamar em muitos corações as desilusões e frustrações que tiveram com pessoas que se passaram por “pastores” e nem tão pouco por situações humilhantes e injustas que tiveram em alguma igreja que participaram, isso porque, afirmar que todos os pastores são uma corja de ladrões e que as igrejas não prestam, é ser um ignorante despretensioso. Não vamos prolongar este assunto porque é longo e fugiremos do nosso tema inicial. 
No entanto, não devemos viver um cristianismo romântico e irracional. A Bíblia é verdadeira e única regra de fé e prática de qualquer cristão. Mas, numa sociedade decaída e maculada pelo pecado, precisamos entender que nem tudo o que as pessoas vivem na igreja é autêntico e verdadeiro. Há muitos aproveitadores da fé. De certa forma, estão nos cultos, se dizem cristãos e praticantes do evangelho de Cristo, mas são lobos devoradores, disfarçados de ovelhas. Causadores de divisões e promotores de lucros pessoais. São os psicopatas da nossa Era. 
Amados, não creiam em qualquer espírito, mas examinem os espíritos para ver se eles procedem de Deus, porque muitos falsos profetas têm saído pelo mundo.
1 João 4:1
Com amor,
Gladyston Santana
 
Onde pesquisei:
http://www.revistaunicaonline.com.br (Mentes perigosas: O psicopata mora ao lado)
http://revistaepoca.globo.com (Psicopata: você conhece um)
http://noticias.gospelprime.com.br (Psicopatas manipulam a sociedade dizendo-se convertidos, diz psicóloga)
http://www.bibliaon.com
http://www.guiame.com.br (Psicopatas pseudo-evangélicos) 
http://www.paulopes.com.br (Estudo revela que profissão de pastor atrai psicopatas)
Revista Super Interessante, 2006, pg. 48

Vamos?

Publicado: 18 de março de 2014 em Uncategorized

Vamos?

“Apesar do nome um pouco estranho… Palavrão não é de fato um (&%¨#$#$ = Palavrão)
PALAVRÃO é uma conferência para jovens que será realizado nos dias 28 e 29 de março, na Igreja Episcopal Carismática – Paróquia do Carpinteiro. A finalidade desse congresso é o fortalecimento da nossa fé.
O nome PALAVRÃO: Está relacionado com a ideia de muita palavra, PALAVRA DE DEUS! Ou seja, um espaço que os jovens terão para bater um papo sobre a Palavra de Deus” – Marcinho, organizador.
#compartilhe.

Belágua é um dos municípios do Estado brasileiro que fica no Maranhão, 270 km distante da capital São Luiz. Em 2010 a população não passava dos 6.527 habitantes. Não há muita informação sobre esta cidade, porém o que mais nos chama a atenção é o conceito de ser a cidade mais pobre do Brasil conforme o IBGE.
Para termos uma ideia, metade da população vive abaixo da linha da pobreza e sobrevivem com menos de 150 reais por mês.
Certamente Deus nos chama para sermos missionários na África, País onde há o maior índice de miséria e pobreza do mundo. Mas também creio que Deus está nos chamando para sermos missionários em nossa ‘África’ no Brasil. Belágua o lugar considerado mais pobre do Brasil.
O QUE PODEMOS FAZER?
1. Orar por este povo;
2. Organizarmos uma viagem missionária levando recursos, como: comida, roupa, material didático, de higiene bucal etc;
3. Falarmos em algum momento missionário da nossa igreja sobre a triste realidade deste povo;
4. Falar com o nosso pastor ou igreja desejo de sermos enviados como missionário para Belágua e sermos sustentados por nossa Comunidade de fé;
5. Montar uma ONG nesta cidade que ensine aos jovens e adultos uma nova fonte de renda e também ajude as crianças a ter um futuro melhor com a educação;
6. Se você é médico: ser um missionário na área de saúde em Belágua, já que não há uma preocupação com a saúde deste povo;

Com amor,
Gladyston Santana #compartilhem.

A África nos espera!!!

Publicado: 15 de março de 2014 em Uncategorized

Imagem

 

 

Não há como não se emocionar com fotos, vídeos e depoimentos de quem pôde ver de perto o sofrimento de crianças e adultos africanos. Lembro-me que a primeira vez que Deus falou ao meu coração foi num culto de missões na Convenção Batista Brasileira em Goiás assistindo um testemunho de um missionário africano e os grandes desafios deste campo. Apesar de nunca ter ido a África, alegro-me quando alguém se dispõe a sair daqui do Brasil a fim de levar o evangelho de Cristo para este povo sofrido. 

Apesar de muitos se emocionarem com fotos e vídeos que mostram pessoas tomadas pela fome e desgraça, a África é “o terceiro continente mais extenso (atrás da Ásia e da América) com cerca de 30 milhões de quilômetros quadrados, cobrindo 20,3 % da área total da terra firme do planeta. É o segundo continente mais populoso da Terra (atrás da Ásia) com cerca de um bilhão de pessoas, representando cerca de um sétimo da população mundial, e 54 países independentes” (Dados do Wikipédia). É muita gente num só lugar e pouquíssimos missionários neste extenso campo.  Concluímos que há muita emoção da nossa parte e pouca ação.

É certo que missões começa em nossa localidade, mas fomos chamados não só para a evangelização local, a ordem é para que levemos a mensagem de Cristo até os confins da terra (Atos 1.8). 

Algumas agências facilitam esta preparação e envio de missionários, dentre elas citamos: JMM da Convenção Batista (www.jmm.org.br) e Portas Abertas (www.portasabertas.org.br). Gostaria de destacar a Missão Esperança e Fé (www.mef.org.br), pelo fato de Cacio Albuquerque, meu primo, está atendendo o chamado do Senhor para ir a Guiné-Bissau, no gigantesco continente africano. 

Imagem

 

Há pelo menos 3 formas de fazer missões: ir, orar e contribuir. Cácio é um jovem dedicado a obra do Senhor e que agora está prestes a levar o amor de Deus a este povo sofrido. Missões deve estar no coração, mais também nos pés. 

A Missão Esperança e Fé, tem um orfanato para crianças numa comunidade isolada no Oeste africano. São atualmente 111 crianças matriculadas. A intenção é contribuir com experiências, suprimentos e material didático todos conseguidos por doações através de pessoas com o coração missionário dispostas a contribuírem com esta missão. 

A África que apresenta uma diversidade étnica,  cultural, social e política, e que além disso, dos 30 Países mais pobres do mundo, 21 se encontram no continente africano, não só EU, mais VOCÊ, que se emociona tanto com artigos, imagens e testemunhos da situação deste povo, temos a oportunidade de também fazermos missões contribuindo financeiramente ou com um compromisso constante em oração. 

Vamos cruzar os braços ou iremos cumprir o nosso chamado de fazer missões?

Sinto que Deus nos incomodará e que qualquer ajuda não nos empobrecerá. Deus quer usar nossos recursos para que esses missionários possam levar seu amor para esta comunidade carente em Guiné-Bissau.

Para doar uma oferta missionária, deposite nesta conta:

Cácio Albuquerque

 

Bradesco Agência 2085-0 Conta 0515178-3. 

Imagem

Com amor,

Gladyston Santana #compartilhem!

Devemos ter cuidado.

Publicado: 15 de março de 2014 em Uncategorized